quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Jura secreta 118





essa estrada que vai dar
no mar dos teus mistérios
ou
essa estrada que vai dar
no mar dos teus silêncios
ou
apenas o caminho para o mar
na coluna vertebral
dos teus suplícios
ou
o poema puro ofício
de te oferecer amor, meu vício
e te querer estrada. sim

eu
poderia abrir teu corpo
com os meus dentes
rasgar panos e sedas

da tua cama
arrancar os cobertores
desatar todos os nós

com as unhas
arranhar os teus pudores
rasgando as rendas
dos lençóis

perpetuar a ferro e fogo
minhas marcas no teu útero
meus desejos imorais

mal/dizendo
a hora soberana
com a força sobre/humana
dos mortais

quando vens me oferecer
migalha e fruto
como quem dá de comer
aos animais

arturgomes
http://carnavalhagumes.blogspot.com/


jura secreta 117




o poema fosse apenas o que eu quisesse
um beijo bem no fundo dos teus olhos
palavras passeando tua pele
enquanto a boca fosse pétalas
e o sorriso flor de lotus
fosse outono inverno em outras eras
e maira fosse a síntese de setembro
e esse agosto se abrindo
em sol de primaveras




artur gomes

Um comentário:

  1. Artur, obrigada mais uma vez.
    Generoso e criativo esse novo amigo: sorte a minha.
    Grande abraço,
    Maira.

    ResponderExcluir