terça-feira, 18 de setembro de 2012

coração leviano

taís corrêa - foto - artur gomes

tuas unhas afiadas
deixaram marcas
em meu coração leviano
 cão vadio em estado de cio
 que quando late/canta
quando ladra/berra
quando canta/descerra
a língua sobre a serra
em frente desses olhos dela
ponte que quase atravessamos
para abrir janelas
sob o sol de setembro
numa quase manhã de sábado
por isso é que me abro
 em outras páginas brancas
 onde um novo poema possa dizer
do canto que não seja pranto o que desejar aqui

artur gomes

Nenhum comentário:

Postar um comentário