quarta-feira, 29 de junho de 2016

Tragi-Comédia Absurda - O Espelho

 


Cia Desafio de Teatro - apresenta:
A Tragi-Comédia Absurda - O Espelho

Criada em 2014 na cidade fictícia de BraziLírica Pereira: A Traição das Metáforas, a Cia Desafio de Teatro produziu e encenou os espetáculos: Nos Tempos da Foto Novela, Uma Noite de Natal e Waterkis  - Selecione Água. Saídos de sua cidade natal, os atores da Cia,  vieram parar em - goyta city, ex-Campos dos Goytacazes - e por falta de condições para sobreviver da sua arte passaram a mendigar pelas ruas da cidade o Pão Nosso de Cada Dia.

Maltrapilhos e desamparados e sem espaço próprio para desenvolverem sua Arte, além da falta de incentivo e diálogo com o poder público municipal, os atores ocuparam um Casarão Histórico abandonado e o transformaram em Teatro. 

Neste ano de 2016 depois de Cristo, provocados pelo seu Diretor, os atores da Cia. começaram a desenvolver o processo de criação da Tragi-Comédia Absurda - O Espelho, inspirada em fragmentos de peças dos dramaturgos Fernando Arrabal e Eugene Ionesco. Os ensaios vem acontecendo no SESC às Quintas e Sábados, com apresentações previstas para acontecer em dezembro.

Curso de Artes Cênicas - O Espelho
Quintas-Feiras - das 15 às 18h
Sábados - das 14 às 17h
SESC Campos - grátis

Direção: Artur Gomes



terça-feira, 28 de junho de 2016

o espelho



Cia Desafio de Teatro - apresenta:
O multi-espetáculo - O Espelho
texto de abertura

ator-narrador -

senhores e senhores a nossa obra de arte
sai da cabeça de quem está procurando o que fazer.
não sei se vocês vão entender. mas não importa
vamos abrir a porta para a luz do sol entrar.
a nossa obra consiste pra mostrar pra quem assiste
que cada qual tem sua sina. e o palhaço mal-me-quer
vai roubar tua mulher. nesta noite severina
Odara me deu um corte me mandou pra outra esquina. 
mas hoje  estou com sorte vou prender esta menina na sola do meu sapato nem que seja o último ato do papel que me destina a cia desafio de teatro.

enquanto o ator narrador vai saindo de cena
o elenco vai entrando cantando em coro as cantorias de roda:

mandei fazer uma casinha de farinha
tão bonitinha para o meu amor passar
oi passa sol passa chuva passa vento
só não passa o movimento do cirandeiro a rodar


Curso de Artes Cênicas - O Espelho
SESC  Campos - grátis
Quintas-Feiras - das 15 às 18h
Sábados - das 14 às 17h
Direção: Artur Gomes



domingo, 26 de junho de 2016

curso de artes cênicas



Curso de Artes Cênicas -
processo de criação do espetáculo teatral - O Espelho
           
Cena 1 - a infância - o lugar da memória - uma ação desenvolvida com cantorias populares, e brincadeiras de roda

cantoria 1 -
mandei fazer uma casinha de farinha
tão bonitinha para o meu amor entrar
oi passa sol passa chuva passa vento
só não passa o movimento do cirandeiro a rodar

cantoria 2 -
quem me ensinou a nadar
quem me ensinou a nadar
foi foi marinheiro foi os peixinhos do mar

ei nós que viemos de outras terras
de outro mar
temos pólvora chumbo e bala
nós queremos é guerrear

cantoria 3
atirei o pau no gato to to
mas o gato to to
não morreu reu reu     
dona chica ca ca dimirou-se se se
do berror do berror do berror que o gato deu
miau!

cantoria 4
não atire o pau no gato to to
porque isso não se faz
o gatinho é nosso amigo
não devemos maltratar os animais
jamais!

cantoria 5
fui no tororó beber água não achei
encontrei bela morena que no tororó deixei
aproveita minha gente
que uma noite não é nada
se não dormir agora dormirá de madrugada
ô mariazinha ô mariazinha
entra nessa roda ou ficará sozinha

sozinha eu não fico nem hei de ficar
porque tenho joãozinho para ser meu par

tira tira seu pezinho bota aqui juntinho do meu
e depois não vai dizer que seu pai se arrependeu

eu passei na sua porta seu cachorro me mordeu
não foi nada não foi nada quem sentiu a dor fui eu

corta -

Cena 2 - exercício diante do espelho
a transformação do ator na busca do seu personagem. 

Curso de Artes Cênicas - O Espelho
SESC Campos - grátis
Quintas Feiras - das 15 às 18h
Sábados - das 14 às 17h
Direção: Artur Gomes


sexta-feira, 17 de junho de 2016

no coração dos boatos



no coração dos boatos 7

no reino ficção de Assombradado Vampiro salta de galho em galho. ouço a canção do Zé Ramalho a peleja do diabo contra o dono do céu. no reino imperial de Brazylândya, o frankstein embalsamado não tem mais como se defender das acusações do tio patinhas. está mais sujo que caranguejo em manguezal. a a res-pública cara amiga é uma grande privada que cheira mais que pantanal.

Federika Lispector

quarta-feira, 15 de junho de 2016

divina comédia



divina comédia

tem mistérios no meu corpo
que ainda não tem nome
leio a Divina Comédia de Dante
enquanto o livro pega fogo
em minhas mãos num mar de quantas
vezes mergulhamos tanto
metáforas à parte
meu desejo explícito
desde aquela praia
no primeiro instante
que desvirginou  meu corpo
derramando mel e sal no  líquido
quando me fez amante

Gigi Mocidade